Olá visitante! Efetue o login para acessar sua conta.
Bulário Eletrônico
Aqui você pode consultar a bula de seus medicamentos e obter todas as informações organizadas em tópicos, tais como composição, metabolismo do remédio no organismo, indicações e contra indicações, precauções, gravidez, reações adversas, posologia, etc.
Para pesquisar, digite o nome do medicamento e clique em "Pesquisar":
Lista de bula de remédios em ordem alfabética:
Para consultar o preço do medicamento Neuleptil antes de comprar na farmácia, escolha uma das opções abaixo:

Neuleptil

Bula do remédio Neuleptil. Classe terapêutica dos Antipsicoticos. Princípio ativo Periciazina.

Indicações de Neuleptil

Tratamento de distúrbios do caráter e do comportamento, revelando-se particularmente eficaz no tratamento dos distúrbios caracterizados por autismo, negativismo, desinteresse, indiferença, bradipsiquismo, apragmatismo, suscetibilidade, impulsividade, oposição, hostilidade, irritabilidade, agressividade, reações de frustração, hiperemotividade, egocentrismo, instabilidade psicomotora e afetiva, desajustamentos.

Efeitos Colaterais de Neuleptil

Neuleptil é geralmente bem tolerado. No início do tratamento pode-se observar ligeira sonolência, que tende a desaparecer. Outros efeitos secundários, comuns a todos os neurolépticos, podem ocorrer, ainda que muito raramente, tais como: discinesias: discinesias precoces (torcicolos espasmódicos, crises oculógiras, trismus), que cedem com a administração de um antiparkinsoniano anticolinérgico. Síndrome extrapiramidal, que cede parcialmente aos antiparkinsonianos anticolinérgicos. Discinesias tardias que podem ser observadas, como com todos os neurolépticos, durante tratamento prolongado: os antiparkinsonianos anticolinérgicos não exercem ação ou podem levar ao agravamento do quadro. Vegetativos: hipotensão ortostática, efeitos atropínicos (secura da boca, constipação, problemas de acomodação, retenção urinária). Endócrinos e metabólicos: impotência e frigidez. Amenorréia, galactorréia, ginecomastia, hiperprolactinemia. Diversos: possibilidade de icterícia colestática. Possibilidade de fotossensibilização. Agranulocitose (raríssima).

Como Usar Neuleptil (Posologia)

Iniciar o tratamento com 1/2 comprimido ou 5 gotas (5 mg) por dia, durante os 3 primeiros dias, aumentando-se gradativamente as doses diárias, até se atingir a posologia média de 20 a 25 mg. Pacientes idosos: iniciar o tratamento com 2 gotas (2 mg) por dia, durante os 3 primeiros dias, aumentando-se gradativamente as doses diárias, até se atingir a posologia média de 15 mg. Estas posologias poderão ser alteradas, de modo a se conseguir a dose mínima eficaz para cada caso, a qual poderá ser mantida por vários meses. As doses devem ser divididas em 2 ou 3 tomadas, sendo conveniente reservar a sua maior parte para a noite. Administrar o produto preferencialmente às refeições, devendo as gotas serem diluídas em água açucarada. Superdosagem: os sinais e sintomas da superdosagem de Neuleptil podem ir desde leve sonolência até importante depressão do sistema nervoso central. Deve-se realizar lavagem gástrica o mais cedo possível e aplicar-se tratamento sintomático.

Contra-Indicações de Neuleptil

Hipersensibilidade ao princípio ativo; antecedentes de agranulocitose tóxica e porfiria; glaucoma por fechadura de ângulo; risco de retenção urinária por distúrbio uretroprostático. Não deve, também, ser utilizado nos três primeiros meses de gravidez.

Precauções

Recomenda-se evitar tratamento prolongado quando se tratar de mulheres que possam engravidar. Não utilizar simultaneamente outros medicamentos depressores do sistema nervoso central, a fim de se evitar possível sinergia de ação. É desaconselhável o uso de bebidas alcoólicas durante o tratamento. Deve haver uma maior vigilância no tratamento de pacientes epilépticos, devido à possibilidade de diminuição do limiar epileptógeno. Neuleptil poderá ser utilizado, mas com prudência, em indivíduos parkinsonianos que necessitem de um tratamento com neurolépticos. A prudência se impõe igualmente em: indivíduos idosos, (devido à sua importante sensibilidade); afecções cardiovasculares graves (devido às modificações hemodinâmicas); insuficiência renal e/ou hepática (devido ao risco de superdosagem). Gravidez e aleitamento: não utilizar durante a gravidez ou período de aleitamento antes de se considerar a relação risco/benefício. Não se recomenda o uso deste medicamento em crianças com menos de dois anos de idade. - Interações medicamentosas: potencialização de hipotensores, anti-hipertensivos e depressores do sistema nervoso central. - Advertências: em casos de hipertermia deve-se suspender a administração do medicamento, pois este sinal pode ser um dos elementos da síndrome maligna (palidez, hipertermia, distúrbios vegetativos) que tem sido descrita com o uso dos neurolépticos. Prevenir os pacientes condutores de veículos e operadores de máquinas, sobre o risco de sonolência no início do tratamento.

Apresentação

Estojo com 20 comprimidos a 10 mg; frasco com 20 ml de solução a 4%.

Composição

Cada comprimido contém: periciazina 10 mg,excipientes q.s.p. 1 comprimido. Excipientes: amido, fosfato bicálcico e estearato de magnésio. Cada ml da solução oral 4% contém: periciazina 0,04 g, excipientes q.s.p. 1 ml. Excipientes: ácido tartário, ácido ascórbico, açúcar, glicerina, álcool etílico, essência de hortelã, caramelo, água. Cada gota da solução a 4% contém 1 mg de periciazina.

Laboratório

Rhodia Farma Ltda.

Remédios da mesma Classe Terapêutica

Amplictil, Carbolim, Carbolitium, Clorpromaz, Haldol

Atenção: as informações sobre os remédios que estão contidas no bulário eletrônico devem ser utilizadas apenas como referência. Sempre dê preferência à bula que acompanha o remédio e somente utilize medicamentos após consultar um profissional de saúde!