Olá visitante! Efetue o login para acessar sua conta.
Bulário Eletrônico
Aqui você pode consultar a bula de seus medicamentos e obter todas as informações organizadas em tópicos, tais como composição, metabolismo do remédio no organismo, indicações e contra indicações, precauções, gravidez, reações adversas, posologia, etc.
Para pesquisar, digite o nome do medicamento e clique em "Pesquisar":
Lista de bula de remédios em ordem alfabética:
Para consultar o preço do medicamento Cefoxitina 1,0 G antes de comprar na farmácia, escolha uma das opções abaixo:

Cefoxitina 1,0 G

Bula do remédio Cefoxitina 1,0 G.

Indicações de Cefoxitina 1,0 G

Indicada no tratamento de infecções quando causadas por organismos sensíveis à cefoxitina. Indicada no tratamento de peritonites e outras infecções intra-abdominais e intrapélvicas; sinusites; infecções ginecológicas; septicemias; endocardite; infecções de trato urinário; gonorréia não complicada; infecções de trato respiratório; infecções dos ossos e das articulações; infecções da pele e tecidos moles. Indicada na profilaxia da febre reumática e no pós-operatório de cirurgias classificadas como contaminadas ou potencialmente contaminadas e em pacientes operados que apresentam sérios riscos de vida.

Efeitos Colaterais de Cefoxitina 1,0 G

A cefoxitina é, em geral, bem tolerada. As reações adversas foram leves e transitórias. Os efeitos colaterais mais comuns foram reações locais como tromboflebites com a administração intravenosa. Foram relatadas erupções cutâneas (dermatite esfoliativa e necrose epidérmica tóxica), urticária, prurido, febre, nefrite intersticial e angiedema e hipotensão. As alterações laboratoriais durante a terapia com cefoxitina incluem: eosinofilia, leucopenia (incluindo agranulocitopenia), neutropenia, anemia (incluindo anemia hemolítica), trombocitopenia e depressão medular, elevações transitórias do TGO e TGP, DHL fosfatase alcalina sérica. A exemplo das demais cefalosporinas podem ser observados ocasionalmente aumentos transitórios da uréia sangüínea e no nitrogênio uréico e/ou na creatinina sérica.

Precauções

Recomenda-se pesquisar histórias de reações de hipersensibilidade às cefalosporinas, penicilinas e outras drogas, pois pode ocorrer reações anafiláticas. Nesse caso, deve-se adotar imediatamente as medidas apropriadas. Cefoxitina não deve ser usada na gravidez e durante a lactação a menos que seja absolutamente necessário. A cefoxitina deve ser prescrita com cautela a pacientes com história de doença gastrintestinal, particularmente colite. Nos casos de insuficiência renal, a dose deve ser reduzida de acordo com o grau da insuficiência. - Advertências: tratamento com cefoxitina pode alterar a flora normal do cólon, permitindo supercrescimento de Clostridium difficile cuja toxina é causa da colite pseudomembranosa que deve ser considerada no diagnóstico de pacientes que desenvolveram diarréia associada ao uso do antibiótico. Nesse caso o tratamento deve ser descontinuado e instituído o tratamento apropriado. Em pacientes com ingestão restrita de sódio deve-se calcular os 54 mg/g de cefoxitina na ingestão diária de sódio. Doses menores que as indicadas não devem ser usadas. Interações medicamentosas: as misturas extemporâneas de antibacterianos betalactâmicos (penicilinas e cefalosporinas) e aminoglicosídeos podem dar como resultado uma inativação mútua. Caso haja necessidade de administrá-los fazer em locais diferentes e nunca misturá-los no mesmo frasco. Alguns estudos indicam que a cefoxitina pode ser compatível com certos aminoglicosídeos.

Apresentação

1 ou 20 frascos-ampola + diluente (água para injeção) de 10 ml.

Composição

Cada frasco-ampola contém: cefoxitina sódica1,0 g; cada ampola de diluente contém: água para injeção 10 ml.

Contraindicações

Hipersensibilidade à cefoxitina ou a outros antibióticos do grupo das cefalosporinas. Em pacientes hipersensíveis à penicilina, deve-se levar em conta a possibilidade de reações alérgicas cruzadas.

Modo de Uso

Adultos: a dose usual é de 1 g ou 2 g a cada 8 horas. A posologia pode ser aumentada para 3 g a cada 6 horas ou 2 g a cada 4 horas em infecções mais graves. Em pacientes com insuficiência renal e em pacientes submetidos à hemodiálise, a dosagem deve ser ajustada de acordo com a gravidade da insuficiência. Lactantes e crianças menores de 3 meses: não se recomenda o uso. Crianças maiores que 3 meses: a dose recomendada é de 20-40 mg/kg a cada 6, 8 ou 12 horas de acordo com a idade. Crianças acima de 2 anos: 80-160 mg/kg/dia em doses divididas. Em infecções graves a posologia pode ser aumentada para 200 mg/kg/dia, mas não deve exceder a 12 g por dia. Injeção intravenosa: diluir 1 g ou 2 g em 10 ml em água para injeção (diluente intravenoso) e administrar lentamente por via intravenosa direta durante 3 a 5 minutos. Infusão intravenosa diluir 1 g ou 2 g em solução de glicose a 5%, cloreto de sódio a 0,9%, glicose a 5% + cloreto de sódio a 0,9%, ou glicose a 5% com bicarbonato de sódio a 0,02% e administrar por 20 a 40 minutos. - Superdosagem: o tratamento da administração imprópria de altas doses, deve ser sintomático e de apoio. Em casos de choque anafilático interromper imediatamente a administração e colocar o paciente na posição horizontal com as pernas elevadas e vias aéreas desobstruídas, aplicar 0,1 mg de epinefrina por via intravenosa (diluir 1 ml de epinefrina 1:1000 para 10 ml).

Laboratório

Ariston Inds. Químs. e Farms. Ltda.

Atenção: as informações sobre os remédios que estão contidas no bulário eletrônico devem ser utilizadas apenas como referência. Sempre dê preferência à bula que acompanha o remédio e somente utilize medicamentos após consultar um profissional de saúde!